Quem sou eu

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Tarefa difícil

Comentários lidos e respondidos no post anterior! A tal prova de Abril 2015 citada em meu penúltimo post era mesmo a Volta à Ilha de Florianópolis.

E é para esta prova que estou me preparando agora. Treinar nesse calor não é tarefa fácil. Correr sob o escaldante sol de Abril em Floripa também não é tarefa fácil.

Mas tarefa difícil mesmo é perder peso sem perder massa magra. O sonho matemático de perder gordura, aumentar a relação massa magra/massa gorda e ainda ficar mais leve na balança... hum, dizem ser uma bela utopia. Talvez menos utópico se bem, mas muito bem acompanhado de um programa nutricional de qualidade. Estou nessa!

Mas o texto a seguir me escancarou de vez o grau de dificuldade dessa empreitada.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Queimar gordura e ganhar massa magra ao mesmo tempo costuma ser o sonho e o dilema de muita gente. Afinal, estes dois objetivos exigem demandas contrárias do corpo. Mas será realmente possível alcançar tal propósito sem prejudicar nenhuma das finalidades?

Encontrar um equilíbrio para o aumento da massa muscular, sem prejudicar o ponteiro da balança, embora seja o mundo ideal para a maioria de nós, é um processo que, segundo Marcello Butenas, diretor técnico da Butenas Assessoria Esportiva, não existe. “Perder peso absoluto normalmente inclui massa gorda e magra. Isto é, num processo de contenção alimentar e exercícios físicos combinados, sempre irá ocorrer alguma perda de massa muscular junto com a perda de gordura. E, por isso, muito mais que o treino certo, a elaboração de uma dieta adequada feita por um profissional é de extrema importância para determinar a menor perda de massa magra possível”, revela.

Como todo programa direcionado a qualquer intenção física, um planejamento personalizado, elaborado de acordo com as necessidades físicas do indivíduo, é sem dúvidas a forma mais segura e eficaz de se garantir resultados. “Não há uma fórmula genérica de equilíbrio entre a medida dos exercícios aeróbios e musculação. Portanto, a orientação de um profissional fará toda a diferença”, reforça Butenas. “O erro mais constante que as pessoas cometem é fazer programas por conta própria. Muitas vezes exagerando na quantidade de exercícios aeróbios combinado com uma dieta pobre o que leva a uma perda de peso desequilibrada e inclusive perda de massa muscular e água”, complementa.


A chave para realizar a queima de gorduras e manter o pique nos treinos adequados, que permitam avançar também no ganho da massa magra é uma alimentação acertada. Para perder peso, não há outra forma que não o controle da alimentação, ingerindo-se menos calorias do que se gasta. Mas, fazendo assim, é normal nos sentirmos fracos para o treino. Portanto, deve-se enfatizar em um controle calórico ao longo do dia e eliminar a restrição apenas nos minutos que antecedem o treino. Propiciando assim maior energia e estímulo para o desenvolvimento muscular.

Um cardápio pobre em nutrientes pode prejudicar seriamente a eficácia do programa desejado, portanto a atenção com os grupos alimentares, tal como os horários, devem ser cuidadosamente respeitados. Apenas a proteína não garante a eficácia da dieta e muito menos a qualidade dos treinos. Para controlar a gordura e melhorar a massa muscular, é importante um treino de alta intensidade e que deve sim demandar uma grande quantidade de carboidratos. A sugestão, porém, é controlar a alta ingestão de carboidratos ao longo do dia, liberando-os apenas para o treino e assim, mantendo o controle correto do ponteiro da balança.

Fonte: www.suacorrida.com.br

2 comentários:

Thiago disse...

Gostei muito dessa parte: "Para perder peso, não há outra forma que não o controle da alimentação, ingerindo-se menos calorias do que se gasta. Mas, fazendo assim, é normal nos sentirmos fracos para o treino. Portanto, deve-se enfatizar em um controle calórico ao longo do dia e eliminar a restrição apenas nos minutos que antecedem o treino."
Nunca fui ligado em perder peso. Não faço o estilo canela fina, nem chassi de grilo. Mas a única vez que me preocupei com esse tipo de coisa foi quando aumentei muito meu volume de treinos (frequência e quilometragem). Naturalmente, eu acordava cansado pro treino do dia seguinte e a primeira providência foi aumentar a "entrada de combustível". Mas ao invés de ter mais energia, me senti mais pesado. Finalmente, quando resolvi este problema, o resultado foi o inverso: por conta do alto volume, comecei a emagrecer demais! rs
Atualmente, estou focado em provas curtas, mas certamente quando eu me dedicar a provas mais longas, irei me deparar com esse problema novamente.

Rivis disse...

Que bom que gostou do texto, Thiago.
Esse balanço gordura / massa magra é um eterno desafio pra gente que, como nos, quer correr leve, forte, mas sem perder o pique para os treinos fortes, intervalados, de volume, etc.
Eu acho que o acompanhamento de um profissional da área de Nutrição ainda que temporariamente é fundamental para o sucesso da difícil tarefa do equilíbrio.
Obrigada pelo comentário!
Rivis