Quem sou eu

sábado, 31 de dezembro de 2011

Qual foi a última vez...?


Qual foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Andei (e corri) refletindo e percebi que tive várias “primeiras vezes” na corrida esse ano. Não apenas coisas que andei fazendo pela primeira vez. Mas coisas que deixei de fazer pela primeira vez. Sentimentos que experimentei pela primeira vez.

Depois de 9 anos correndo, experimentei muitas coisas novas.

Confesso que pela primeira vez este ano...

Eu escrevi neste blog. Eu compartilhei muitos textos técnicos que li e que serviram para melhorar minha corrida. Eu escrevi sobre as provas de rua que fiz, sobre as marcas e tempos que derrubei ao longo do ano. Na infância, fui uma criança que leu muito. Uma adolescente que leu e escreveu muito. E uma adulta que havia perdido o hábito de escrever rotineiramente. Este espaço me deu esta chance de novo. Com o exemplo de um pai poeta em casa, eu não podia me privar de escrever, seja o tema que fosse.

Eu experimentei ter amigas intensamente contaminadas pela paixão de correr. Gente que começou a correr meio descrente. Mas que foi cravando 5, 10 e 21 km em provas por aí. E que saía das provas querendo mais. Mais do mesmo. O mesmo de sempre da corrida: vida, saúde, energia.

Eu conheci Corredores que me inspiraram. Amadores com tempos profissionais. Amadores com uma paixão profissional pela corrida. Gente que plantou a semente da performance em mim.

Eu fiz uma prova, de ponta a ponta, ao lado de amigos queridos. Eu nunca havia corrido uma prova ao lado de alguém. Muito menos ao lado de outros 4 Corredores. Minhas provas sempre foram solitárias. De certa forma, como a corrida é. Mas em Interlagos não foi assim.

Eu experimentei correr sem música. Tive meu Ipod furtado. Até adquirir um novo aparelho, corri sem música por falta de opção. De meses para cá, por opção. Descobri que a música não me atrapalha, nem me faz correr mais forte. Mas descobri que antes de gostar da música, gosto da corrida. Vou experimentar a música de novo. Só não sou mais dependente dela.

Eu deixei de correr por exatos 30 dias. A última vez que experimentei isso até então, foi há 5 anos, durante minha gravidez. Lá foram 12 meses de recesso, mas o motivo era nobre. Aqui, o motivo foi outro.

O motivo foi outro... pela primeira vez, experimentei uma lesão. Ela doeu bem mais dentro de mim que fora. A frustração foi infinitamente maior que a dor física.

Pela primeira vez minha filha pediu para correr comigo! Aconteceu em um belo domingo em que eu planejava correr 12km. Corri 100 metros. Ao lado dela. Ela “ganhou” de mim. Ela me ganhou.


Em 2011 eu ganhei muito. Ganhei amigos, saúde, admiração. Ganhei inspiração, autoconfiança e responsabilidade. Ganhei um ano especial.

Para você que me lê agora, meu ‘muito obrigada’ pela companhia. Sem você, não existe post, blog ou qualquer confissão.

Eu te desejo bem mais que 1, 5, 10 ou 42km em 2012. Eu te desejo muita saúde, equilíbrio e gente do bem à sua volta.

Eu te desejo um Feliz Ano Todo! Até 2012.

8 comentários:

Carla disse...

Que texto lindo !! Alias o ano todo você nos deu de presente textos bonitos assim. Escritos com emoção. A parte de sua filha eh linda. Mto legal o exemplo que você esta dando!

Espero que você continue correndo e escrevendo bonito assim pra nos. Sua energia eh um incentivo pra quem te segue aqui!

Para todos um excelente 2012! Beijos!

Carla

Sergio disse...

Rivis,
Te acompanhei aqui o ano todo e sei que você fez muito bem a muita gente.
Desejo que tudo isso volte em dobro pra você e que você tenha um excelente 2012.

Um beijo.

Sergio

Ruy Barbosa Jr disse...

Falou com o coração...sensacional!
Vc é uma inspiração... Sorte de quem tem privilegio da sua companhia...sua amizade.
Parabens!! Adorei...
2012 abençoado pra vc.
Bj

Rodrigo Fonseca disse...

Rivis, que post mais lindo!!! Intenso e verdadeiro, como a dona desse blog! E esse talento prá escrever bem (que - segredo descoberto - vem do DNA) há de inspirar muitas pessoas a iniciarem seus primeiros passos rumo a uma vida mais saudável e feliz.

No balanço do ano de 2011, você tem um lugar especial nos melhores momentos!

Parafraseando o Ruy, é um privilégio e uma honra fazer parte desta história, e espero que em 2012 possamos correr juntos muitos outros kilômetros.

Feliz Ano Novo! Bjos

Anônimo disse...

Comecei 2011 com vc me arrancando do sedentarismo, e terminei 2011 ganhando a tríplice medalha de Athenas e correndo 10k com prazer.

Começamos 2012 falando do calendário de provas...

Mas alem disso, compartilhamos saídas as compras, festinhas de aniversario, almoços...

Não tenho duvidas que vc eh alguém que vou sempre levar no coração, e de preferencia com muitos encontros ao vivo e a cores tb!

Sucesso continuo eh o que vc sempre terá!

Bjs,

Deia

Leo disse...

Rivis,
fantástico seu post! Vai escrever bem assim lá longe!

Concordo com os demais amigos aí de cima que dizem que é um privilégio conviver com você. Quem convive com você, sabe do que estou falando. Mulher bonita, forte, inteligente e que corre mais forte que muito homem por aí! Ainda te alcanço, hahaha...

Beijos e 2012 muito mais feliz ainda pra voce.

Sergio xavier disse...

Demais. Há os que buscam paz e se realizam na corrida. Para outros, o barato vem da performance. Poucos se divertem dos dois jeitos. Parabéns.

Rivis disse...

Oie! Estou aqui hoje exclusivamente para agradecer tantas msgs carinhosas de tanta gente que gosto tanto!

Agradeço todas as msgs que recebi aqui, por email ou celular desde que postei este texto. Muitos de vcs se reconheceram no texto, mesmo sem que eu tenha feito qualquer citação nominal. Quer maior prova de que essas pessoas realmente fizeram parte do meu ano?!

Carlinha
Sergio
Ruy
Ro Fonseca
Deia
Leo
Serginho

Obrigada pela visita e comments! Cada palavra de vcs é um impulso a mais pra que eu siga correndo e sendo quem sou!

Um beijão.